Pesquisa do Unicef aponta que 82% das crianças do Brasil temem a violência

Em todo o mundo, metade das crianças se sentem marginalizadas em relação às decisões que as afetam e dizem que não são ouvidas.

21 de Novembro de 2017

 

A violência, o terrorismo e a pobreza são os assuntos que mais  preocupam as crianças no mundo. No Brasil, 82% das crianças temem  principalmente a violência – é o país em que essa preocupação atingiu o  índice mais alto.

A informação foi divulgada pelo Fundo das Nações Unidas para a  Infância (Unicef) , que realizou pesquisa em 14 países para marcar o Dia  Mundial das Crianças, lembrado nessa segunda-feira (20). Foram ouvidos 11 mil crianças  e adolescentes de 9 a 18 anos na África do Sul, Brasil, Egito, Estados  Unidos, Holanda, Índia, Japão, Malásia, México, Nigéria, Nova Zelândia,  Quênia, Reino Unido e Turquia.

 

 Na preocupação com a violência, o  Brasil é seguido pelo México e pela Nigéria, onde o índice supera os  70%. Já no Japão, apenas 23% das crianças pensam na violência da mesma  forma. Outros temas que angustiam as crianças são a educação de baixa  qualidade (principalmente no Brasil e na Nigéria) e o terrorismo (com  destaque para Egito e Turquia).

 

Em todo o mundo, metade das  crianças se sentem marginalizadas em relação às decisões que as afetam e  dizem que não são ouvidas: 45% delas não confiam que os líderes  mundiais possam tomar boas decisões em seu nome. No Brasil, o pior caso,  este índice sobe para 81%.

 

 O tratamento injusto de refugiados é outra inquietação, que atinge 40% das crianças no México, no Brasil e na Turquia.

 

 Crianças no controle


 Para  marcar o Dia Mundial da Criança, 130 países realizam ações em que as  crianças e adolescentes assumem o controle de importantes instituições. A  iniciativa, batizada de #CriançasNoControle, tem ações em oito capitais  brasileiras. 

 

 “É o dia que marca a importância de se dar voz a  meninos e meninas e garantir que eles sejam protagonistas nas decisões  que afetam a sua vida”, afirmou Florence Bauer, representante do Unicef  no Brasil.

Em São Luís, os adolescentes Thiago Emanuel Leite  Cutrim e Kimberly Saori Marques Viegas  tornaram-se o prefeito e a  vice-prefeita crianças. Os alunos do 6º ano da Unidade de Educação  Básica Maria Rocha  foram eleitos após apresentar um projeto de  reciclagem na escola.

Eles foram diplomados pelo Tribunal  Regional Eleitoral maranhense e tomaram posse na Câmara Municipal. O  prefeito criança eleito, Thiago Cutrim, reafirmou o compromisso de  desenvolver ações de sustentabilidade. “Temos que fazer o local em que  vivemos mais agradável”, declarou.

 

 No evento, 12 adolescentes  apresentaram suas propostas e expectativas para as autoridades  presentes. Na ocasião, a prefeitura de São Luís aderiu à iniciativa de  Busca Ativa Escolar, que localiza crianças e adolescentes fora da escola  e os leva de volta à sala de aula.

 

 No Rio de Janeiro,  adolescentes serão os protagonistas, amanhã (21), no Ministério Público  Estadual. Uma estudante assumirá o lugar do procurador-geral na abertura  da reunião solene do Órgão Especial do Colégio de Procuradores de  Justiça do Rio de Janeiro e outros dois menores farão discursos no  evento.  Eles também serão recebidos pelo secretário estadual de  Segurança Pública, Roberto Sá, e pelo secretário municipal de Educação,  César Benjamin.

 

 *Com informações das Nações Unidas no Brasil (ONU Brasil) e da ONU News


Agência Brasil

 

 

Fonte: http://domtotal.com

 

 

Netmidia - Soluções Digitais©2014 - Todos os direitos Reservados a Diocese de Ji-Paraná
Fone: (69) 3416-4203 / 3416-4210
Av. Marechal Rondon, 400 - Centro - Ji-Paraná / RO - CEP: 76900-036
E-mail: informatica@diocesedejiparana.org.br