Pastoral dos Surdos.

28 de Agosto de 2017

 

Nossa história

 

Relatar a fundação da Pastoral do Surdo é uma tarefa imensa, pois são muitos: instituições e congregações religiosas, padres, bispos, religiosas, leigos que contribuíram, conforme o momento histórico e as possibilidades do momento.

 
Contudo podemos destacar duas personalidades marcantes nas origens da pastoral: Monsenhor Vicente de Paulo Penido Burnier, 1º sacerdote surdo brasileiro, de Juiz de Fora (MG) e padre Eugenio Oates, (ouvinte) sacerdote redentorista, nascido nos Estados Unidos. 

 
Desde a década de 40, a pastoral buscou espaço na caminhada da Igreja, ambos foram os grandes discípulos missionários através das visitas às escolas, associações e igrejas onde existiam surdos. 

 
Mais tarde, padre Volmir Francisco Guiso, deficiente auditivo de Porto Alegre se junta a eles para colaborar no anúncio do Evangelho. Hoje mais dois sacerdotes, Hélio de Jesus, deficiente auditivo de São Luís (MA) e Wilson Czaia, surdo de Curitiba (PR) são testemunhas vivas de que a surdez não é obstáculo para viver o sacerdócio e dedicar-se integralmente aos surdos, mas sinal de superação dos desafios e pôr em prática os talentos, como dons de Deus. 

 
Atualmente a Pastoral do Surdo está presente na maioria dos Regionais e através de um trabalho silencioso e eficaz. Os surdos têm a oportunidade de conhecer, celebrar e testemunhar Jesus Cristo na sociedade de hoje.

 
OBJETIVOS

A Pastoral tem como objetivo atuar em diversas áreas: 

• Prepara celebrações e encontros de caráter espiritual.
• Catequese: atuam na formação do surdo, buscado um maior conhecimento da palavra de Deus, pela preparação do batismo, eucaristia, crisma e curso de noivos.
• Juventude: atenção especial é dada aos jovens, por meio de encontros, caminhadas e momentos de lazer.
• Cultura: como Pastoral do Surdo, ela está presente em eventos, exposições, danças e datas comemorativas.
• Ação Social: atua na formação política.

Histórico da Missão com Surdo em de Ji-Paraná/RO

 

Uma situação inusitada, experimentada e vivenciada pelo o padre José Celestino, da Paróquia São Sebastião, em realizar o matrimonio entre um casal de surdo o deixou bastante apreensível. Mesmo buscando em sua Paróquia e na Diocese de Ji-Paraná (RO) e nas demais Comunidades um profissional que pudesse intermediar a situação, ou seja, um intérprete da linguagem de sinais; não obteve sucesso. Mesmo com toda a dificuldade encontrada, ainda assim, o matrimônio foi realizado.

 

Diante desta situação, o coração do padre ficou inquieto. Padre Celestino ficou pensativo e imaginando o que a igreja católica particular desta comarca poderia ter um olhar diferente no que se refere á inclusão do surdo e de toda pessoa portadora de qualquer necessidade especial, já que uma das funções da Igreja é dar o primeiro passo em acolher todos que buscam a graça e desejo de vivenciar o amor de Deus. O tempo passou e o projeto permanecia firme dentro do coração do padre Celestino.

 

Apesar das incertezas e como conduzir a situação, padre Celestino continuou na busca constante para encontrar alguém que tivesse disponibilidade, coragem, domínio, habilidade e conhecimento na Língua Brasileira de Sinais. Diante dessa circunstância, ele teve o total apoio da Igreja particular de Ji-Paraná. Sensível à preocupação do padre José Celestino, Mary (Assistente Social do Projeto Gente Feliz) sugeriu e indicou a Eliana Maria Gomes de Oliveira para a realização deste projeto que tanto o inquietava o coração. Assim, depois de uma longa conversa entre eles sobre a necessidade desse mediador dentro da Igreja particular de Ji-Paraná, Eliana Maria Gomes de Oliveira decidiu abraçar a missão com amor ao irmão surdo. Mesmo que seu conhecimento, domínio e habilidade estivessem em processo de construção, com fé, coragem, esperança e amor incondicional e tendo o padre José Celestino como apoiador e co-fundador, assumiu com confiança essa missão que Deus a incumbiu.

 

Por isso, Eliana Maria Gomes de Oliveira, assumiu a coordenação do movimento em construção com o surdo e intérprete na formação definitiva da Pastoral do Surdo em Ji-Paraná, que, ao ser consolidada, deverá ser integrada por um ou mais irmãos surdos. Essa nova pastoral, a Pastoral do Surdo, poderá servir como modelo para as demais Paróquias e Comunidades da região.

 

Atualmente, este movimento em Ji-Paraná é composto pelas intérpretes:

 

Ana Helena Lima Mourão, Brenda Martins Kreisel, Bruna Monteiro Marinho, Eliana Maria Gomes de Oliveira, Maria Geni de Amorim, Marcela Regina Stein Santos, Regina Mara Boaventura e Suelem.  Surdos: Betânia, Jackson Douglas Oliveira Urias, Leonardo, Pedro, Ronaldo Oliveiro Veloso, Talmarian Edvaldo da Costa Rocha, Victor Silva de Freitas e Viviany Amorim Silva Oliveira.

 

 

 

Objetivo da Pastoral do Surdo

 


ART.1º - A Pastoral do Surdo do Brasil, doravante neste documento denominada PS (Pastoral do Surdo), é um organismo de dimensões Bíblico-Catequética e Sócia Transformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB. (fonte: Estatuto da Pastoral do Surdo do Brasil)

A Ação Evangelizadora é um instrumento feito para auxiliar os estudos das diversas comunidades surdas católicas do Brasil. A Diretriz ajuda os surdos a garantir um estudo profundo da palavra de Deus fazendo da pessoa surda conhecedora da palavra e também da missão do surdo em sua Pastoral. Saiba mais em: http://www.pastoraldosurdo.org.br

 

 

Com a força de vontade e sustentada pela missão confiada, a Eliana Gomes deu início a formação de uma equipe de intérpretes.

A primeira Missa com a intervenção dos intérpretes ocorreu no dia 6 de dezembro de 2015 na Paróquia São Sebastião e teve como celebrante o padre Elielson e Concelebrada pelo padre José Celestino. A interpretação na linguagem dos sinais (Libra) ficou por conta de Enadir Pereira dos Santos (Ariquemes) e sua filha Marielly Pereira dos Santos (surda), Brenda Martins kreisel, Suellen e Eliana Gomes (ambas de Ji-Paraná). A cerimônia contou com a participação dos surdos: Ronaldo, Viviani Amorim, Leonardo, Betânia.

 

 

Matrimônio do Jackson DOUGLAS Oliveira Urias e Viviany Amorim Silva Oliveira (Surdos)

 

Testemunhado  pelo padre José Carlos (Paróquia Nossa Senhora de Fátima) cerimônia realizada na Comunidade Nossa Senhora Aparecida dia

03/12/2016

 

 

 

Cerimônia Matrimonial de Jackson Douglas Oliveira Urias e Viviany Amorim Silva Oliveira (Surdos) Interpretada em Libras “Língua Brasileira de Sinais,” realizada na Comunidade Nossa Senhora Aparecida no dia 3 de dezembro de 2016 presidido pelo o padre José Carlos, da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, com a participação das intérpretes Marcela, Brenda e Eliana. 

 

 

Momento da Entrada das Alianças

 

 

Intérpretes

 

 

Missa Comunidade São João Bosco

 

 

 

 

 

Momento de descontração no Dia Nacional dos Surdos - 26 de setembro de 2016 


 

 

Santa Missa na Comunidade São Judas Tadeu – Paróquia São João Bosco 28/10/2016

 

 

 

Padre Assis, seminaristas, Intérpretes e Surdo

 

 

 

 

Participação na Santa Missa

 

 


                                                                                         Momento final da Santa Missa

 

 

                                            Santa Missa Solenidade de Nossa Senhora Aparecida 12/10/16 Paróquia São João Bosco

 

 

 

                           Marco Zero

 

              Surdos participando da Santa Missa – 12/10/2016

 

 

         

                    Surdos e Intérpretes ao final da Santa Missa

 

 

 

                     Ronaldo (surdo), padre José Celestino, Talmarian e Victor (surdos)

 

 

 

Curso de formação com o tema Bíblia

Assessoria -  Ilza Vidal de Pádua Costa, da Escola Bíblica – Paróquia São José.

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

               

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                        Padre José Celestino presenteia irmão surdo com Bíblia Sagrada

 

 

 

Santa Missa na Comunidade Santa Luzia 13/12/2016

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                       Inicio da Santa Missa presidida pelo Padre José Celestino

 

 

 


                                                         Final da Santa Missa

 

 

 

 

Confraternização na casa da Brenda dezembro de 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Betânia (surda), Eliana, Suelen e Brenda (intérprete), Mauro (pai de Brenda),

Rosilene (mãe de Brenda), Ivonete (mãe do Ronaldo), Ronaldo (surdo) e Paola (sobrinha do Ronaldo).

 

 

 

Fonte: Pastoral dos Surdos. Paróquia São João Bosco

 

 

Netmidia - Soluções Digitais©2014 - Todos os direitos Reservados a Diocese de Ji-Paraná
Fone: (69) 3416-4203 / 3416-4210
Av. Marechal Rondon, 400 - Centro - Ji-Paraná / RO - CEP: 76900-036
E-mail: informatica@diocesedejiparana.org.br